EXPOSIÇÃO “DESENHAR A MOEDA – O MAR” NA ESCOLA JOÃO AFONSO






No polivalente da escola João Afonso de Aveiro está a decorrer uma exposição denominada “Desenhar a Moeda - O Mar”, com desenhos de moedas de alunos das escolas de Aveiro.


 O concurso “Desenhar a Moeda” procurou sensibilizar para a riqueza cultural, patrimonial e artística da moeda, sendo um instrumento pedagógico e veículo de transmissão de valores e conhecimento entre gerações.


 O desafio foi proposto às escolas do segundo e terceiro ciclos do ensino básico.
Os alunos que participam nesta exposição – de um total de 769 projetos, foram selecionados 70 – pertencem às seguintes escolas: Aradas, Castro Matoso, Eixo, Jaime Magalhães Lima, João Afonso, Mário Sacramento, Rio novo Príncipe, São Bernardo e Oliveirinha.



O primeiro prémio foi atribuído à Ísis Martins, da escola João Afonso, e houve também uma segunda menção honrosa, atribuída à aluna Íris Lapa,  e uma menção especial, atribuída à aluna Beatriz Rei.



Esta exposição foi montada na escola João Afonso dia 3 de dezembro, segunda-feira e é patrocinada pela Câmara Municipal de Aveiro e pela Imprensa Nacional - Casa da Moeda.

Não te esqueças de a visitar, pois vale a pena.




Texto: Ana Clara e Katerina Leonchyk, 5ºI, João Parada, 5ºB, Clube de Jornalismo
Fotos: Jornal Moliceiro






Declaração Universal dos Direitos Humanos - 70 anos


Declaração Universal dos Direitos Humanos - Artigo 2º

     “Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação.”







Crianças com deficiência sofrem todos os dias

    
      As crianças com deficiência têm muita dificuldade em se integrarem, principalmente na escola, pois muitas vezes são insultadas pela sua aparência. E o que é que estas crianças sentem?


     Estas crianças sofrem todos os dias, sentem tristeza, injustiça, raiva, etc… Muitas vezes, estas crianças não têm vontade de ir à escola, não têm vontade de viver. Há crianças muito deprimidas em Portugal e no Mundo.


     Como é sugerido no artigo 2º da Declaração Universal dos Direitos Humanos, estas crianças não devem ser discriminadas.


     Esperamos que toda a gente tenha retirado alguma informação deste texto e que ponha em prática, no seu dia a dia, o que está escrito na Declaração Universal dos Direitos Humanos.





Texto: Luísa Cruz e Clara Martinho, 5ºE, Clube de Jornalismo.

Fonte da imagem: https://bit.ly/2G9Eo2C




HC comemora os 70 Anos da DUDH



Na passagem de mais um importante Dia Internacional dos Direitos Humanos, assinalamos na escola, os 70 anos da proclamação da Declaração Universal dos Direitos do Homem. Para além da exposição de trabalhos, dos alunos do 12º ano de  Economia C,   na sala Espaço +  , irá decorrer, na Homem Cristo, um  conjunto alargado de atividades!

Não fiques indiferente... 
Participa!


10 de dezembro : Dia Internacional dos Direitos Humanos


O Dia Internacional dos Direitos Humanos é celebrado anualmente a 10 de dezembro.

A data serve para homenagear o empenho e a dedicação de todos os cidadãos defensores dos direitos humanos e colocar um ponto final a todos os tipos de discriminação, permitindo a igualdade entre todos os Homens.



Comemoração do Dia dos Direitos Humanos

A celebração da data foi escolhida para valorizar o dia em que a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou a 10 de dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Esta declaração enumera os direitos humanos básicos de que devem usufruir todos os cidadãos.

Na lista das Nações Unidas, este é um dos dias mais importantes, marcado também pela entrega do “Prémio Nobel da Paz”.

Desde de que foi criada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos têm o direito e a obrigação de valorizar e defender a liberdade, a igualdade de género, a justiça, a segurança e de impedir qualquer forma de discriminação.

Relembramos os três primeiros artigos que proclamam estes direitos:

Artigo 1º

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para os outros em espírito de fraternidade.



Artigo 2 °

Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente, de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento, ou de qualquer outra situação. (...)
 


Artigo 3 °

Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.



Pensa nisto!





Texto: António Fareleira, 5ºG, e Sofia Fernandes, 5ºI, Clube de Jornalismo.

Fonte do texto: https://bit.ly/2BxZZKU

Fonte da imagem: https://bit.ly/2QE2iHw